quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Ceder à tentação

O café arrefece sempre depressa de mais. Mas para o que havia de dar agora: beber café. Contam-se pelos dedos de duas mãos as vezes que bebi café na minha vida e agora, de um momento para o outro deu-me para ficar a mimar um chávena grande e quente enquanto beberico pedacinho a pedacinho.
As coisas mudam. As pessoas também... às vezes.
Foi esta incerteza que me deu uma noite um bocadinho surreal.
Este blog começou com o final de um namoro muito corrosivo de mais de dois anos. Foram muitos meses de me fazerem acreditar que eu não valia nada, que não era importante, que só servia para satisfazer necessidades e pagar as contas.
A parte triste é que eu acreditava realmente que a mulher com que eu estava tinha nela o potencial para crescer, para me amar e por isso as coisas foram-se arrastando até ao limite presas naquela esperança de que se eu fosse boa o suficiente, se me esforçasse o suficiente ela ia perceber que valia a pena deixar de ser fria.
Bom.. mas isto não vos interessa nada. Já estou a dar uma de gaja com muitos sentimentos e este blog não é para lamurias.
Vamos lá fazer um fast forward para esta semana e para a noite em que ela me pediu que lhe desse uma oportunidade de mostrar que tinha mudado, que se tinha apercebido de como eu era importante para ela.
Basicamente vamos fazer fast forward para uma das melhores fodas dos últimos dois anos.
Depois de um banho com direito a pétalas de rosa e tudo, mesmo a atirar para o romântico piroso dos livros cor de rosa com velinhas a completarem o conjunto ela levou-me para a cama.
Eu posso ter muito do que me queixar mas há uma coisa que eu não posso negar... na cama esta mulher tem muito jeitinho... e um par de mamas que me deixa sem fôlego. É mesmo muito difícil ter pensamentos coerentes quando tenho aquelas duas mamas perfeitas a balançarem-se perto do meu rosto com os mamilos a roçarem-se ao de leve em mim.
Envolveu-me em beijos e carícias e foi alternando toques com as pétalas da rosa que guardou e leves arranhares com os espinhos.
Com a minha perna entre as dela foi dando às ancas cada vez mais rápido enquanto me dava beijos quentes enrolando a sua língua na minha até que se veio assim, em cima de mim com aqueles gemidos que me fazem estremecer.
E foi aí que me surpreendeu.
Eu sou uma rapariga de imaginação fértil e um punhadinho de fantasias generoso mas com o passar do tempo com ela fui cada vez ficando mais envergonhada e nunca explorámos muito esse campo. Por isso, sim, fiquei chocada quando me apercebi que afinal ela não só tinha percebido algumas das minhas fantasias como se preparava para pôr em prática essa informação.
Meteu-me de gatas com algumas almofadas debaixo da barriga e disse-me ao ouvido duas coisas que me deixaram intrigada: "se achares que precisas de parar diz-me que eu páro imediatamente" e " nem penses em te vires antes que eu te dê autorização".
Deslizou dois dedos com facilidade para dentro de mim e eu podia dizer qualquer coisa doce e bonitinha como "e fez amor comigo com ternura" mas a verdade é que me começou a foder com força. Empurrava a mão contra mim exactamente da maneira que me deixa doida e movimentava os dedos dentro de mim de uma forma desconcertante que me fazia contorcer-me de prazer.
Os meus gemidos aumentaram de volume e comecei a tocar-me na ânsia de aumentar ainda mais aquela sensação... senti-me chegar cada vez mais perto do orgasmo, perdi o controlo da minha respiração e quando estava mesmo quase a perder-me de vez ouvi-a dizer " não te disse que não era para te vires assim?" e levei uma palmada. Mas uma palmada a sério, com força, daquelas que ardem e deixam o rabo vermelho. Depois outra, e outra e outra em rápida sucessão.
O inesperado daquela dor permitiu-me retomar o controlo e consegui não me vir.
-Já sabes - disse ela acentuando cada palavra com mais uma palmada - não é para te vires até eu te dizer.
Retomou o movimento com a sua mão e com a mão livre agarrou qualquer coisa que não consegui perceber de inicio mas que rápidamente senti. Era o talo comprido da rosa e que fiquei a saber que produz um efeito muito semelhante a uma cana.
Cada vez que eu me começava a mexer tentando sentir mais da sua mão em mim ela dava-me uma forte vergastada no rabo a cada movimento meu.
Eu sei que para quem nunca experimentou isto pode parecer forte e doloroso.. mas garanto-vos que só de pensar no assunto enquanto escrevo estou a ficar completamente molhada.
Eu delirei com aquela mistura de sensações... com a escolha que tinha de fazer entre ficar quieta e dar algum descanso às bochechas do rabiosque que já ardiam ou mexer-me em busca de mais prazer e aguentar a dor.
Durante todo o tempo a voz dela ia-me ajudando a controlar-me... acho que tivemos mais que uma hora neste jogo.. não sei bem.. perdi um bocadinho a noção do tempo.
Quando eu já chorava, não de dor mas do desespero de todo aquele doce tormento de não me poder vir ela finalmente disse-me que se eu me aguentasse até lhe doer a mão de me dar palmadas me podia vir no final. E assim foi... penso que me terá dado perto de 50 palmadas bem fortes e rápidas, cada uma a deixar o campo da dor e a entrar cada vez mais no campo do prazer, a misturar-se com a sensação dos dedos dela em mim a penetrar-me com força e quando finalmente me disse "vem-te agora" e voltou a usar o talo da rosa ainda com mais ímpeto eu vim-me violentamente. Toda eu tremia, soluçava de prazer, abafava os gritos na almofada enquanto onda após onda de prazer descontrolado se abatiam sobre mim.
Foi absolutamente delicioso.
Não sei se as coisas mudaram ou não.
Não sei se alguma vez vou ter com ela o tipo de vida a duas que desejo...
Mas uma coisa é certa: enquanto durar esta fase vou aproveitar o sexo fenomenal a que tenho direito.

5 comentários:

Kapikua disse...

porque é que nós homens heteros adoramos aventuras entre 2 mulheres?

ainda para mais quando bem contadas como a tua!

beijo enorme

EK disse...

Se o sexo foi tão fenomenal como o relato, tens mesmo é que aproveitar ..

Bad Couple disse...

Mais um blog que nao conheciamos e que depois de lermos, ficamos a a adorar, so tens e que nao o deixar morrer!
Beijos

O Santo Diabinho disse...

Sigo-te
;)

Mariana & Alberto disse...

Extremamente sensual o blog!! Adoramos! Beijokas!